Após ação do Sindsaúde, servidor conquista aposentadoria especial e abono de permanência



Mais uma vez, o Sindsaúde foi à Justiça para garantir os direitos dos seus filiados. Mesmo tendo trabalhado em condições insalubres devidamente comprovadas por mais de 25 anos, o técnico de laboratório, Wilmar C. Almeida - que atuou no HDT – não conseguiu se aposentar. Porém, depois de recorrer à assessoria jurídica do Sindicato, o servidor teve, na última terça-feira (26), o seu direito à aposentadoria especial e ao abono de permanência reconhecido pelo Tribunal de Justiça do Estado de Goiás.

O juiz Fernando C. R. Salgado acatou o pedido do Sindsaúde e reconheceu o direito do servidor “de ser aposentado pela modalidade especial a partir da data 08/07/2017” e condenou o Governo de Goiás “a pagar ao autor a quantia de R$ 1.048,13 (hum mil e quarenta e oito reais) a título de abono de permanência indevidamente suprimida de sua remuneração em julho e agosto de 2017“. 

Entretanto, no que se refere ao direito de receber o abono de permanência, o pedido foi acatado parcialmente já que, com base nos cálculos do Sindsaúde, o servidor teria direito a uma quantia de R$ 10 mil.

O caso servidor Wilmar se assemelha à situação de muitos outros trabalhadores em Goiás. Mesmo dedicando suas vidas ao serviço público e sob a exposição permanente e contínua ao risco biológico e químico, muitos servidores têm seus direitos negados pelo Estado. Diante disso, o Sindicato tem colocado sua assessoria jurídica à disposição dos seus filiados para garantir que a Lei seja cumprida”, destacou a presidenta do Sindsaúde, Flaviana Alves.

Flaviana ainda destaca que assistência jurídica sindical tem sido uma ferramenta fundamental para assegurar os direitos da classe trabalhadora. Ela esclarece que os servidores interessados podem procurar os advogados do Sindsaúde a qualquer momento. Basta agendar o atendimento por meio do telefone (62) 3995-6900, de segunda à sexta, das 8h às 18h.

27/09/2017