Contra corte de benefícios, trabalhador@s estaduais da Vigilância cruzam os braços



Indignados com o corte gradual de benefícios, os trabalhador@s estaduais da Superintendência da Vigilância em Saúde (Suvisa) também decidiram cruzar os braços nesta segunda-feira (6). Por volta das 8h30, os servidor@s suspenderam os serviços prestados aos 246 municípios goianos e protestaram em frente ao prédio da Suvisa que fica no setor Marista.

Entre as reivindicações está o pagamento da produtividade fiscal. O benefício foi cortado sem aviso prévio em dezembro do ano passado. Apesar das promessas do governo, a produtividade até hoje não foi restabelecida. Além disso, os trabalhador@s exigem a criação de um banco de horas e o pagamento do valor original das diárias. Segundo eles, o valor de R$ 180 por viagem a trabalho já era insuficiente e agora foi reduzido para R$ 120.

Os servidor@s alertaram que a paralisação de hoje foi apenas um aviso. Novas manifestações estão marcadas para esta terça-feira (7) e quarta-feira (8). Também há possibilidade de greve por tempo indeterminado até que a situação seja corrigida.

Com a paralisação, os profissionais da Vigilância em Saúde deixam de atuar no cumprimento da legislação que regula o funcionamento de estabelecimentos como hospitais, banco de sangue, laboratórios de análises clínicas, drogarias e restaurantes.

 

06/04/2015