Data-base: sem avanço, servidores da prefeitura de Goiânia decidem intensificar mobilização



Durante assembleia geral na manhã desta quinta-feira (17), trabalhador@s de diversas áreas da prefeitura de Goiânia decidiram que vão intensificar as mobilizações. O objetivo do movimento que é chamado de Reaja Servidor é garantir o pagamento da data-base e o cumprimento de outros direitos trabalhista. Uma grande mobilização na Câmara Municipal ficou agendada para a próxima terça-feira (22), às 8h30.

Apesar da pressão dos trabalhador@s nesta quarta, o prefeito Íris Rezende não recebeu as entidades que fazem parte do Fórum das Entidades Sindicais dos Servidores Públicos Municipais de Goiânia como havia sido acordado no dia anterior. No entanto, Íris preferiu se reunir apenas com diretores do Sindigoiânia, o que causou estranheza aos demais sindicatos presentes.

Se referindo à atitude do prefeito, o vice-presidente do Sindsaúde/GO, destacou que “não houve evolução das negociações com a prefeitura de Goiânia” e afirmou que a gestão “tentou dividir o movimento dos trabalhador@s”.

Segundo informações do Sindigoiânia, o secretário de Finanças da prefeitura irá se reunir com uma comissão de trabalhador@s na próxima quarta-feira, às 10h, para discutir o pagamento da reposição salarial aos servidor@s.

Reivindicações

A prefeitura vem alegando dificuldade financeira para aplicar a reposição salarial no valor de 4,08% que deveria ter sido feita em maio. Entretanto, um levantamento do Dieese revelou que o município tem uma expressiva margem financeira para pagar a data-base de 2017 em parcela única. De acordo com os dados do relatório apresentado pelo órgão, a gestão tem margem para conceder até 20% de reposição sem ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal. 

Além do pagamento retroativo da data-base, o Fórum reivindica o cumprimento integral do Plano de Carreiras, pagamento dentro do mês trabalhado, melhores condições de trabalho e de assistência à população, reajuste do vale-alimentação, concurso público, segurança para devido desempenho das atividades, funcionamento correto do Imas, pagamento da dívida junto à Previdência e retorno da Mesa de Negociação.

 

 

Confira também: 

Prefeitura de Goiânia tem limite financeiro para conceder até 20% de data-base, afirma Dieese

Pela data-base, servidores marcam assembleia com indicativo de greve em Goiânia

Sindicatos voltam a discutir o percentual da data-base com gestores da prefeitura de Goiânia

 

 

 

17/08/2017