Em Goiânia, iniciativa mobiliza comunidade em defesa da UPA Noroeste



O caos nas unidades de saúde de Goiânia tem sido uma constante. Além de infraestrutura, faltam insumos, profissionais, e condições de trabalho. Em meio a isto tudo, uma iniciativa tem chamado a atenção da comunidade da Região Noroeste. Os Conselhos Local e Municipal de Saúde de Goiânia tem desenvolvido um trabalho em defesa da UPA Noroeste envolvendo usuários e moradores da região. No último sábado (17), foi realizada a segunda edição desse projeto.

A ação funciona da seguinte forma: os moradores da região e usuários da unidade são convidados para participar de uma atividade no prédio da UPA. No dia, por meio de um bate-papo, os próprios servidores falam das dificuldades e dos potenciais daquela unidade.  Depois de um tour pela UPA, os Conselhos explicam a importância da participação social, isto é, o papel de comunidade de fiscalizar e discutir sobre as mudanças que envolvem a unidade. Atividade se encerra com um café.

Diretor do Sindsaúde, presidente da CUT Goiás e odontólogo naquela unidade, Mauro Rubem, explica que a ideia é conscientizar a população do seu papel determinante na luta por melhores condições assistência. “Essa unidade tem enfrentado inúmeros problemas como a falta de insumos e de profissionais. Diante disso, o nosso objetivo é fazer com que essa unidade funcione 100% e atenda às necessidades da população”.

Já o diretor de Formação Sindical do Sindsaúde, Erivânio Silva, destaca que, apesar de inaugurada e pronta para funcionar, a unidade de pediatria da UPA segue fechada. "Enquanto isso, unidades como Cais Campinas, uma das poucas que tem atendimento pediátrico na rede municipal de Goiânia, segue superlotada", relata. 

Além do Sindsaúde, o projeto tem entidades parceiras como Sindicato dos Técnicos e Auxiliares em Saúde Bucal de Goiás, Sindicato dos Servidores Públicos Federais do Estado de Goiás, Sindicato dos Odontologista no Estado de Goiás e CUT Goiás.

 

 

 

 

 

20/03/2018