No interior, Sindsaúde cobra direitos trabalhistas e discute impacto das mudanças no SUS



A fim de fiscalizar o cumprimento dos direitos trabalhistas e construir uma ampla política de valorização para o servidor@r, diretores do Sindsaúde estiveram em vários municípios da Região Sul do Estado nos dias 13 e 14 de março. Na ocasião, o Sindsaúde se reuniu com os trabalhador@s da Saúde e levantou as principais reivindicações.

As reuniões aconteceram nos municípios de Piracanjuba, Morrinhos, Buriti Alegre, Itumbiara, Bom Jesus, Cachoeira Dourada e Goiatuba. Em pauta estavam reivindicações como a implantação de Plano de Carreiras, o pagamento da Data-base e a melhoria nas condições de trabalho. Em Bom Jesus, por exemplo, a discussão do Plano avançou. A proposta já foi apresentada e escolhida a comissão para analisá-la. Uma nova reunião deve acontecer no dia 4 de abril.

Desmonte do SUS

Atendendo a uma deliberação do 7º ConSindsaúde, também foram eleitos os delegados sindicais, isto é, os representantes dos servidor@s por local de trabalho. O objetivo é ampliar a defesa dos trabalhador@s e intensificar o enfrentamento contra o desmonte do Sistema Único de Saúde. A secretária de Saúde do Trabalhador do Sindsaúde, Maria de Fátima Veloso, alerta que a terceirização dos serviços de saúde já é uma ameaça no interior.

Na ocasião, os diretores também aproveitaram para esclarecer sobre as mudanças recentes no SUS que impactam seus trabalhador@s e usuários. Maria de Fátima Veloso explica que, diante da gravidade dessas mudanças, o Sindsaúde tem incluído o assunto em suas agendas. “A Portaria 83, a unificação dos Blocos de Financiamento do SUS e as mudanças na PNAB relacionam entre si e estão diretamente ligadas à Emenda Constitucional 95 que congela os investimentos em Saúde por exemplo. Isso não afeta só o trabalhador do SUS, mas toda a população”, ressalta.

Já o diretor de Organização Política e de Base, Mauro Rubem, chama a atenção para a importância da conscientização na defesa do SUS. Ele explica que a garantia do SUS depende da união dos seus trabalhadores e da mobilização de seus usuários.

 

 

 

 

 

15/03/2018