Prefeito de Rio Verde não recebe trabalhadores e novo protesto é marcado



Durante assembleia geral com paralisação na última segunda-feira (6), os Agentes Comunitários de Saúde e de Combate às Endemias do município de Rio Verde marcaram um novo protesto contra a falta de diálogo da prefeitura. Os trabalhador@s querem que a gestão cumpra uma lei complementar na qual a carga horária dos agentes está estipulada em 30 horas semanais ou que a gestão pague as horas trabalhadas a mais. O novo protesto vai ocorrer no próximo dia 9, às 8h, em frente à Prefeitura.

A prefeitura chegou a firmar um acordo com o Sindsaúde, mas acabou recuando. Com a mudança de posicionamento, a carga horária voltará a ser de 40 horas semanais como vinha ocorrendo desde 2014 e sem compensação das 10 horas (hora-extra) trabalhadas a mais.

A decisão de recuar desse acordo causou revolta. Em ato de protesto na última segunda-feira, os agentes se concentraram no terminal da Vila Promissão e depois se deslocaram até a sede da prefeitura. Lá, a presidenta do Sindsaúde/GO, Flaviana Alves, e uma comissão de trabalhador@s tentaram se reunir com o prefeito Paulo do Vale, mas ele não apareceu para recebê-los.

Flaviana Alves, explica que a Lei Complementar Municipal 6.111 editada em 2012 garante uma jornada de 30 horas semanais. “Diante disso, nos reunimos várias vezes com a gestão até chegarmos a um acordo. Infelizmente a prefeitura acabou recuando. Agora vamos continuar mobilizados e intensificando os nossos atos até que esse direito seja respeitado”.  

 

 

 

Veja também:

Justiça determina o retorno de agente de saúde exonerado pela prefeitura de Goiânia

Servidores de Anápolis dizem “não” ao aumento da contribuição previdenciária

Sindsaúde participa do 7º Seminário da Frente Nacional Contra a Privatização da Saúde

 

07/11/2017