Prefeitura admite que poderia ter pago data-base em abril



Em mais um capitulo da luta pelo pagamento da data-base, o Sindsaúde - juntamente com várias entidades sindicais e associações - participaram ontem (28), de mais uma rodada de negociação com a prefeitura de Goiânia. Com o reforço da assessoria econômica do Dieese, os sindicalistas constataram, nas palavras dos secretários Rodrigo Melo de Administração e Oseias Pachedo de Finanças, que a prefeitura tinha condições financeiras de pagar a data-base em abril.

Agora, os secretários argumentam que a prefeitura enfrenta uma queda da receia líquida no segundo quadrimestre e que, por isso, tinham que optar entre pagar a data-base ou manter a folha de pagamento do funcionalismo.

Contrapondo os argumentos adotados pelos gestores, o vice-presidente do Sindsaúde, Ricardo Manzi, solicitou os documentos que realmente comprove a situação financeira da prefeitura no segundo quadrimestre. “O Dieese já provou que a prefeitura pode dar um reajuste de até 20% de data-base sem ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal. Por que não pagaram o nosso reajuste quando tinham o dinheiro?”, indagou.

O secretário de Finanças disse que publicará o Orçamento fiscal e de Gestão, quadrimestral - maio a agosto - da prefeitura, até o dia 20 de setembro, para comprovar que o município passa por sérias dificuldades financeiras.

Mobilização
Inconformados com o impasse entre a prefeitura, os trabalhador@s realizaram uma nova assembleia unificada – na manhã desta terça-feira (29) – na Câmara de Vereadores, para traçar as estratégias e ações do movimento.

Com o amplo apoio dos vereadores, os servidor@s pretendem intensificar as mobilizações com a realização de assembleias setoriais, a utilização da tribuna popular da Câmara e de blitz em unidades de saúde e pontos de concentração dos trabalhador@s da Seinfra e urbanitários.

Uma nova assembleia unificada ficou deliberada para acontecer no dia 21 de setembro. Até lá, os sindicalistas esperam a decisão do Ministério Público sobre uma representação feita pelo vereador Elis Vaz (PSB), que pediu o envio imediato do projeto para o pagamento da data-base.

29/08/2017