Projeto que cria auxílio-alimentação para a Saúde chega à Assembleia Legislativa



O Governo de Goiás encaminhou à Assembleia Legislativa na última segunda-feira (18), o projeto de lei que cria o auxílio-alimentação para os servidor@s públicos estaduais. De acordo com o projeto, o benefício no valor de R$ 500 será estendido igualmente aos servidor@s efetivos de 32 órgãos e entidades distintas, entre elas, a Saúde.

No início de dezembro, diretores do Sindsaúde se reuniram novamente com o secretário estadual de Gestão e Planejamento, Joaquim Mesquita, e pediram celeridade na tramitação do projeto.

Apesar de atender a reivindicação do Sindicato, o governo criou algumas restrições que podem prejudicar vários trabalhador@s. De acordo com as regras pré-estabelecidas, não terá direito ao benefício, o servid@r que tiver remuneração mensal maior que R$ 5.000, ou seja, somente 4.769 servidor@s receberão o benefício.

Além disso, o parágrafo segundo do artigo terceiro do projeto, proíbe o pagamento do auxílio aos servidores que “estejam afastados, a qualquer título, do exercício da função”.

Alterações

O vice-presidente do Sindsaúde, Ricardo Manzi, explicou que o projeto não é o mesmo que foi acordado com o governo e por isso, o Sindsaúde vai propor uma emenda para corrigir eventuais prejuízos. “A primeira surpresa foi em relação ao valor. O auxílio deveria ser no valor de R$ 600 – inclusive em acordo com o despacho enviado ao Consind - e não de R$ 500 conforme chegou à Assembleia. Esse é um dos equívocos que o Sindsaúde quer corrigir”.

Ainda segundo Ricardo, o teto remuneratório de R$ 5.000 fixado pelo governador excluiu quase a metade dos servidor@s da saúde. “Lutamos pela isonomia entre os servidor@s e estamos mobilizados para garantir que ninguém saia prejudicado. Para isso, precisamos do apoio de todos os trabalhadores da saúde hoje na Assembleia”, conclamou.  

Como servidor@s de outras pastas também encontram-se na mesma situação, o Sindsaúde e o Fórum Sindical estão organizando uma mobilização em frente à Assembleia Legislativa nesta terça-feira (19), às 14h

No limite

Como o período de sessão extraodinária na Assembleia Legislativa começou na última segunda-feira (18) e deve se encerrar na próxima quinta-feira (21), o Sindsaúde articula para que as modificações necessárias sejam feitas o mais rápido possível. Objetivo é garantir a aprovação ainda esse ano.

Confira também:

Na BR 153, Sindsaúde participa de protesto contra Reforma da Previdência

Comitê entrega relatório sobre violações dos direitos humanos às autoridades goianas

Projetos que preveem mudanças em repasse de verba beneficiam agentes de Saúde e de Endemias

 

19/12/2017

Foto: www.ueg.br