Rádio voltada aos interesses do trabalhador é inaugurada em Goiânia



Foi inaugurado na manhã desta quinta-feira (7), na sede da CUT – Goiás, o estúdio da Rádio Trabalhador (RT). O projeto de uma rádio na internet voltada aos interesses da classe trabalhadora foi idealizado pelos sindicatos, entre eles o Sindsaúde, que compõem a Rede CUT de Comunicação. O evento foi transmitido ao vivo e contou com a participação de 15 entidades incluindo movimentos sociais.

A Rádio Trabalhador veio para contribuir com a luta dos trabalhador@s. Além de ser a voz da classe trabalhadora e um instrumento de resistência, ela também será um espaço de informação e formação”, defendeu a presidenta do Sindsaúde, Flaviana Alves.

Ela ainda destacou que “a consolidação desse projeto é motivo de muita alegria, já que essa Rádio será um canal de comunicação voltado exclusivamente aos interesses da população e do trabalhad@r”.

Atualmente, a Rádio Trabalhador funciona em caráter experimental no endereço eletrônico www.radiotrabalhador.com.br e veicula semanalmente um boletim com informações diversas, incluindo as ações dos sindicatos. Além disso, uma parceria com Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária (Abraço) possibilita que esse boletim seja veiculado em mais de 100 rádios comunitários no estado de Goiás.

A RT ainda disponibiliza, por meio da loja virtual Play Store, um aplicativo para celulares android no qual é possível acompanhar sua programação. Também há uma versão para iOS (sistema operacional móvel da Apple).

Quem também prestigiou inauguração da RT e eleogiou a iniciativa foi a diretora da Rádio Universitária criada pela Universidade Federal de Goiás, Márcia Boaratti. “A Rádio Trabalhador é muito importante para a sociedade e por isso a Rádio Universitária apoia. A Universidade tem esse papel de estar junto com os movimentos sociais, movimentos sindicais e com a comunicação pública. Por isso, a gente caminhou juntos desde o início”, salientou.

O diretor do Sindsaúde e presidente da CUT-Goiás, Mauro Rubem, foi um dos defensores desse projeto. Ele destacou que o compromisso das entidades em construir um canal de comunicação coletivo e isento dos interesses da grande mídia foi fundamental. “Diariamente, vemos os grandes veículos de comunicação – defensores de uma pauta que não é a nossa -  criminalizarem os movimentos sindicais e sociais. Isso é lamentável! Por isso, o nosso projeto não para por aqui. Em breve vamos inaugurar o nosso próprio canal de TV”, prometeu. 

 

 

Confira mais:

Em audiência, Sindsaúde discute o direito do ACS de residir fora da área de abrangência

Em Goiânia, Sindsaúde participa de ato em defesa da aposentadoria

SES reconhece direito de servidores acumularem até 30% em processos de titulação

 

 

   

07/12/2017