Sindsaúde cobra regularização da insalubridade em Goianápolis



Atento às violações de direitos trabalhistas que tem ocorrido em todo o estado, o Sindsaúde esteve ontem (24), na cidade de Goianápolis, para acompanhar mais uma investida do poder público contra a classe trabalhadora.

Na pequena cidade, que tem pouco mais de 10 mil habitantes, o prefeito mandou cortar a insalubridade de todos os servidor@s que estavam de férias ou de licença médica.

Outra medida que tem provocado bastante indignação na cidade, é o corte de ponto dos trabalhador@s que se ausentaram do trabalho para acompanhar seus filhos em consulta ou exame médico.

Em reunião com os servidor@s, o diretor de Comunicação do Sindsaúde, Leocides José de Souza, lamentou esse tipo de postura da prefeitura e disse que o sindicato não permitirá nenhuma afronta aos direitos dos trabalhador@s. “Se for preciso acionaremos a Justiça para haver o cumprimento irrestrito da lei”.

Já a diretora de Saúde do Trabalhad@r, Maria de Fátima Veloso, lembrou que a insalubridade é um direito garantido por lei e que precisa ser cumprido. “Não podemos tolerar tantos desrespeito aos direitos dos trabalhador@s. É inadmissível que esses pais e mães de famílias tenham sido retaliados por ser ausentarem do serviço para dar assistência aos seus filhos”.

Sobre a insalubridade, o Sindsaúde solicitou um parecer jurídico da Procuradoria do Município para verificar por que houve o corte desse benefício.

Quanto ao corte de ponto, a prefeitura se comprometeu em verificar todas essas situações e reparar o erro, caso haja descumprimento do direito.

A reunião contou ainda com a participação da diretora de assuntos de Gênero, Raça e Etnia, Lívia Tavares e da 2ª secretaria geral, Eliane Cândida Castilho.

25/08/2017