Sindsaúde debate o fortalecimento do SUS no Fórum Social Mundial 2018



Engajado na luta em defesa dos direitos sociais e de um Sistema Único de Saúde (SUS) constitucional e 100% público, o Sindsaúde marca presença na edição do Fórum Social Mundial 2018. Ao lado de movimentos sociais e de diversas entidades, a presidente do Sindsaúde, Flaviana Alves, participou, nesta quarta-feira (14), do debate sobre a participação social nas políticas públicas de educação na saúde: movimentos para o fortalecimento do SUS.

A atividade foi organizada pela Comissão Intersetorial de Recursos Humanos e Relações de Trabalho (CIRHRT) do Conselho Nacional de Saúde (CNS) e abordou a construção histórica das políticas de educação na saúde a partir da ótica da participação social. Pontos polêmicos como a privatização da saúde e a Emenda Constitucional 95 também foram discutidos.

O SUS é um dos maiores sistemas públicos de saúde do mundo e  milhões de brasileiros dependem unicamente dele. Nós, enquanto sociedade organizada, temos um papel crucial no processo de melhoramento e consolidação do SUS. É necessário aprofundar as discussões e definir estratégias eficazes de luta nesse sentido”, apontou Flaviana.

O Fórum

O Fórum Social Mundial nasceu  em 2001 por organizações e movimentos sociais que, a partir de uma proposta inicial, se auto-convocaram e mobilizaram para um grande encontro em Porto Alegre, em contraposição ao neoliberalismo representado pelo Fórum Econômico Mundial, que ocorria ao mesmo tempo em Davos, na Suiça.

Este ano, o FSM 2018 trouxe o tema “Resistir é criar, resistir é transformar” e está sendo realizado na Universidade Federal da Bahia (UFBA) por meio de seminários, plenárias, oficinas, atividades culturais e conferências. Além disso, o evento também conta com marchas e atos em Salvador.

 

 

 

 

 

 

14/03/2018

Com informações do Fórum Social Mundial (https://wsf2018.org)