Vice-governador admite atender proposta do Sindsaúde para compensar perdas dos servidores



Em mais uma ação para garantir os direitos dos servidor@s estaduais da saúde, o Sindsaúde se reuniu com o governador em exercício, José Eliton, na última segunda-feira (13). Diretor@s da entidade expuseram o impacto das perdas salariais dos servidor@s acumuladas nos últimos anos e como o corte de ponto afetou a vida daqueles que fizeram a greve em 2016.

Durante a reunião, a presidenta do Sindsaúde, Flaviana Alves, entregou ao governador a cópia de um documento assinado pela gestão no encerramento da greve, no qual o Estado se comprometia em negociar as reivindicações dos servidores, inclusive o corte de ponto se fosse o caso.

O governador afirmou que vai buscar compreender porque o acordo não foi cumprido, mas admitiu a possibilidade de atender uma proposta a ser elaborada pelo Sindicato na qual os trabalhador@s teriam seus prejuízos amenizados. O encontro que ocorreu no Palácio Pedro Ludovico Teixeira foi intermediado pelo diretor do Sindsaúde e presidente da CUT-Goiás, Mauro Rubem.

Flaviana garantiu que a proposta será elaborada nos próximos dias para que em breve, seja apresentada ao governador. A expectativa é que perdas como data-base, corte de ponto, adicional de insalubridade e produtividade sejam compensadas. “Até o momento, essa gestão vinha se mostrando insensível com a causa dos trabalhador@s. No entanto, esperamos que a partir daqui, consigamos estabelecer um novo patamar de diálogo e que as negociações avancem”.

Corte de ponto

Já o diretor de Formação Politica do Sindsaúde, Erivânio Silva destacou que as medidas do governo têm prejudicado muito os trabalhadores da saúde. Erivânio recordou que o corte de ponto feito em função da greve da saúde em 2016 foi uma delas. Aparentemente sensibilizado, José Eliton reconheceu a possibilidade de rever a decisão. Ele prometeu buscar alternativas juntos aos secretários de Saúde e Planejamento.

Convicto da injustiça cometida contra os servidor@s, o Sindsaúde tem cobrado a devolução dos valores descontados, inclusive na Justiça. Ao governador, Flaviana reiterou que “centenas de pais e mães de família foram colocados em uma situação lamentável e que essa situação precisa ser corrigida”.

Vale-alimentação

O Sindicato tem defendido amplamente a concessão do vale-alimentação para todos os servidor@s da saúde como uma das formas de amenizar os prejuízos da categoria. Nesse sentido, o governador se comprometeu em defender o benefício para a saúde. Um despacho do secretário de Gestão de Planejamento, Joaquim Mesquita, que trata da concessão do auxílio no valor de R$ 600,00 já foi encaminhado ao Conselho Estadual de Políticas Salariais e Recursos Humanos (Consind).

Plano de Carreiras

O cumprimento da Lei do Plano de Carreiras ainda este ano também foi confirmado por José Eliton. Após questionamentos, o governador garantiu que o Estado quitará em dezembro a última parcela da progressão no valor de 1% e a terceira e última parcela do enquadramento que pode variar entre 1% e 15%. Vale ressaltar que os inativos que forem enquadrados na última letra da tabela terão um aumento de 15% sobre o salário-base. O realinhamento da tabela é outra reivindicação do Sindsaúde.

Insalubridade e produtividade

Após ser indagado sobre a alteração no adicional de insalubridade, José Eliton afirmou que não vê possibilidade de restabelecer os percentuais alterados pela Lei Estadual 19.573/16, mas acredita que é possível encontrar uma nova forma de compensar o trabalhad@r. A gratificação de produtividade foi outro assunto abordado. Flaviana também defendeu uma maneira de reparar as perdas do servidor após a criação do teto.

Como sempre, estamos aberto ao diálogo e esperamos que essa gestão finalmente valorize os trabalhador@s da saúde da forma que eles merecem. São servidor@s que, mesmo diante de uma grande defasagem salarial, não medem esforços para prestar um serviço com responsabilidade e eficiência”, concluiu Flaviana.  

14/11/2017

Foto: Goiás Agora