A gratificação de produtividade dos servidores da SES corre risco com a reforma administrativa?

A gratificação de produtividade dos servidores da SES corre risco com a reforma administrativa?

*Publicada em 10.05.2019 às 10h16

O Sindsaúde tem acompanhado o projeto da Reforma Administrativa que o governo de Goiás encaminhou à Assembleia Legislativa no último dia 2 de maio. Com a medida, o Estado pretende reorganizar a estrutura de todos os setores ligados ao governador otimizando, segundo o governador, o patrimônio governamental e seus recursos humanos.

Na tarde de ontem (9), a presidenta do Sindsaúde, Flaviana Alves, divulgou um vídeo com as considerações do Sindicato a respeita da reforma. Flaviana explicou que o Projeto de Lei (PL. 2019002376) não altera direitos já conquistados pelos servidores da Secretaria de Estado da Saúde.

“Ao analisar o projeto, não há nenhuma perda dos nossos direitos com relação à produtividade, ao plano de carreira ou à gratificação de insalubridade. No entanto, fizemos a sugestão de algumas emendas por considerá-las importantes para a manutenção da política do Sistema Único de Saúde”, afirma.

No vídeo, Flaviana lembra que a defesa da gratificação de produtividade foi reforçada nas reuniões com o atual secretário de Saúde, Ismael Alexandrino. “Apesar de o secretário achar que essa lei pode ser inconstitucional, ele enfatizou que não pretende acabar com o benefício. De qualquer forma, cobramos e ele assumiu o compromisso conosco de que qualquer alteração deverá ser discutida previamente com os servidores”, relata Flaviana.

O secretário também se comprometeu em reativar as reuniões da Mesa Estadual de Negociação Permanente. No último dia 30, Alexandrino publicou a Portaria 421/2019 instituindo o grupo de trabalho que discutirá as questões relativas aos interesses dos servidores estaduais.

Confira no vídeo:

X
%d blogueiros gostam disto: