Sindsaúde se reúne com os trabalhadores (as) da saúde de Goianésia

Sindsaúde se reúne com os trabalhadores (as) da saúde de Goianésia

Publicado em 30 de julho de 2020, às 11h03

A reunião virtual do Sindsaúde com os trabalhador@s de Goianésia contou com a participação encorpada dos profissionais da saúde deste município.

Com objetivo de tratar e analisar a conjuntura nacional da Lei Complementar 173/2020, do Governo Federal, o cenário que se apresenta e compõe de forma permanente o ataque ao Sistema Único de Saúde (SUS) que se iniciou através da Emenda Constitucional 95, conhecida como a PEC da Morte do SUS que trouxe a desvinculação orçamentária (congelamento os gastos com SUS por 20 anos). E foram discutidos também dentro desse bojo, a situação dos trabalhador@s da saúde do município de Goianésia.

“O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) apesentou para o Sindsaúde um estudo localizado mostrando que o município de Goianésia tem hoje condição de aumentar a despesa com o pessoal em até 20% sem ferir o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal e esses dados são muito importantes, porque o Sindsaúde junto com trabalhador@s da saúde tem uma série de negociações que já estávamos tratando anteriormente junto à Prefeitura e que não progrediram na discussão,” explica o Presidente do Sindsaúde-GO, Ricardo Manzi.

O Presidente do Sindsaúde se refere a aplicação das progressões horizontais e verticais do plano de cargos carreiras e salários (PCCS), a questão referente a insalubridade de 40% (demanda necessária para os trabalhador@s no enfrentamento à pandemia da Covid-19). O Sindsaúde compreende que esta gratificação de insalubridade de 40% ela deve ser para todos (as) trabalhador@s independente da unidade de saúde e da atividade laboral que estiverem executando. Todos os trabalhador@s da saúde são importantes no enfrentamento da pandemia da Covid-19.

Questões relativas às condições de trabalho especialmente referentes aos equipamentos de proteção individuais e coletivos (EPI e EPC) adequados para as atividades laborais, sobre a testagem ampliada dos profissionais, trabalhador@s da saúde, como resposta adequada à este período de emergência da pandemia. Questões referente a jornada de trabalho, que precisam ser rediscutidas devido à sobrecarga de trabalho apresentadas e demais demandas apresentadas pelos trabalhador@s do município.

Os encaminhamentos finais ficou acordado entre os trabalhador@s e o Sindsaúde que será elaborado e encaminhado o requerimento à Prefeitura do município a constituição de uma comissão que irá avaliar questões como a aplicação do PCCS, mas também elaborar uma proposta para um Projeto de Lei que estenda e garanta o direito da gratificação (insalubridade) de 40% a todos os trabalhador@s da saúde de Goianésia.

Sindsaúde-GO

Sempre Juntos: A Saúde Luta e Resiste

 

               

   

X
%d blogueiros gostam disto: