Sindsaúde vai a unidades de saúde para averiguar condições de trabalho e registrar demandas dos trabalhadores

Sindsaúde vai a unidades de saúde para averiguar condições de trabalho e registrar demandas dos trabalhadores

*Publicada em 25.06.2020 às 15h37

 Preocupados com os profissionais de saúde e usuários na pandemia, diretores do Sindsaúde-GO se reuniram com trabalhadores de duas unidades na quarta-feira (24). No Centro de Atenção Psicossocial (Cais) Finsocial e no Centro de Centro de Referência em Ortopedia e Fisioterapia (CROF), o Sindicato discutiu condições de trabalho e registrou as demandas dos trabalhadores. Goiás já ultrapassou a marca dos 1.500 profissionais de saúde contaminados

EPI’s

Os servidores relatam que faltam Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) e qualidade naqueles disponibilizados pela prefeitura. Máscaras que não protegem como deveriam, falta de gorro e viseiras são algumas das denúncias. O relato de que falta até produtos de limpeza adequados para realizar a higienização dos prédios preocupa o Sindicato.

O Sindicato já se reuniu com trabalhadores do Cais Guanabara, Cais Cândida de Morais, Caps Esperança, Caps Novo Mundo, entre outros. A falta de testagem para a Covid-19 dos profissionais é uma problema recorrente. Há denúncias de que as testagens feitas pela Secretaria Municipal de Saúde têm sido aleatórias e não contemplam todos os trabalhadores. Além disso, muitos profissionais – preocupados por terem colegas já infectados – têm procurado fazer o teste por conta própria.        

Formalização das denúncias

O presidente do Sindsaúde-GO, Ricardo Manzi, informou sobre as medidas já tomadas pelo Sindsaúde e assegurou que vai intensificar as cobranças para que a SMS garanta a segurança e condições adequados de trabalho desse profissionais. No entanto, Manzi orientou que os trabalhadores formalizem a denúncia de forma anônima enviando-a para o e-mail denuncia@sindsaude.com.br.  

Manzi lembrou que o Sindicato já obteve ações judiciais favoráveis para que a SMS oferte todas as condições de trabalho necessárias e o afastamento quando for preciso. O Sindsaúde cobra ainda que a Secretaria realize o teste RT-PCR em todos trabalhadores e não apenas em sintomáticos.

Aumento de casos

Já a secretária Geral do Sindsaúde, Luzinéia Vieira, lembrou que a flexibilização do isolamento social tem refletido no aumento do número de casos de Covid-19 e confirmado as projeções mais pessimistas. Luzinéia alertou que “a pandemia caminha para o seu momento mais crítico e que é preciso redobrar as medidas de proteção dos profissionais de saúde”.  

Reunião

No próximo dia 1º, às 19h, o Sindsaúde vai realizar uma reunião com os trabalhadores do Cais Finsocial e demais profissionais da saúde da Região Noroeste. O objetivo é realizar uma ação conjunta que assegure melhores condições de trabalho. Outra reunião deve ocorrer em breve com os trabalhadores do CROF.  

 

 

X
%d blogueiros gostam disto: