A Saúde mental dos Profissionais de Saúde na Pandemia Coronavírus

A Saúde mental dos Profissionais de Saúde na Pandemia Coronavírus

O estresse e a pressão dos profissionais de saúde que tem que lidar com uma situação de pandemia, com a falta de equipamentos básicos de proteção, com a distância e o medo de contaminar seus familiares, com o risco de adoecer no exercício de suas atribuições diárias, provocam severos problemas de saúde mental, como aumento da ansiedade e depressão. A Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica esses profissionais como grupo de vulnerabilidade para desenvolver as doenças do trato psicossocial.

No Brasil o número de profissionais da saúde contaminados é superior a 30%, do número de infectados totais da Covid-19. E em Goiás, esse percentual pode ser superior, devido à subnotificação destes números.

As Organizações Sociais (OS) que administram as unidades de saúde em Goiânia, que são hospitais de referência para o tratamento de diversas especialidades no Estado, não fornecem o número exato dos profissionais contaminados e nem dos óbitos.

Em resposta a uma matéria jornalística, o Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS), que administra o Hospital de Urgências de Goiânia “…informou que não vai se pronunciar por paciente,…”. Tal postura por parte desta empresa e das demais, que estão gerindo a saúde em Goiás, só faz aumentar a preocupação entre os profissionais da saúde, a população e o Sindsaúde.

O HUGO antes da pandemia teve aproximadamente 300 servidor@s públicos experientes removidos em grande maioria, para serviços administrativos.

No início do mês de maio eram cerca 200 profissionais de saúde, no HUGO, com diagnóstico positivo para Covid-19. E pacientes de oito cidades do interior de Goiás, que vieram fazer tratamentos de saúde no Hospital, estão com diagnóstico do novo vírus.

O Sindsaúde-GO em ofício solicitou às OSs, informações do número de profissionais contaminados e dos óbitos. Apenas 3 delas responderam. Apresentaram dados que não correspondem nem aos números informados pelas Secretaria de Saúde do Estado (SES) e Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

O desrespeito com os profissionais de saúde e com a população é imenso e desesperador neste momento em os números de contaminados só cresce, 1.184 óbitos por coronavírus nas últimas 24 horas no Brasil.    O momento exige entendimento de todos para com o cuidado e o trato da saúde pública, é urgente exigir a imediata suspensão dos contratos com as OSs em Goiás e instituir as linhas de financiamento definitivas para o Sistema Único de Saúde.     

O Sindsaúde, através dos seus canais de comunicação, o Denuncie Sindsaúde, orienta os trabalhador@s da saúde e a população para que façam suas denúncias, que participem conosco nesta luta, por  condições adequadas de trabalho e de salários, diante da pandemia da Covid -19. O novo vírus é mais um agravante para validar situação de desmonte do SUS (com a Emenda Constitucional 95)  e de sobrecarga na saúde mental dos trabalhador@s e da população. O bem-estar psicossocial nesse momento de crise torna-se fundamental para todos, as.

Defenda o seu direto à saúde pública, o SUS e a informação. Saúde pública pertence ao povo.

Sindsaúde.

Sempre Juntos: A Saúde Luta e Resiste  

Fontes:

https://www.opopular.com.br/noticias/cidades/coronav%C3%ADrus-goi%C3%A1s-tem-mais-400-casos-que-n%C3%A3o-aparecem-na-estat%C3%ADstica-1.2055440

https://www.opopular.com.br/noticias/cidades/doze-pacientes-atendidos-no-hugo-tiveram-covid-19-ap%C3%B3s-interna%C3%A7%C3%A3o-no-local-1.2056063

X
%d blogueiros gostam disto: