Sem pagar data-base, Iris quer aumentar contribuição dos servidores



Contra a proposta de restruturação da previdência municipal de Goiânia, que eleva de 11% para 14% a contribuição previdenciária do funcionalismo público, o Fórum Sindical dos servidor@s de Goiânia já se articula no Legislativo.

Para a presidenta do Sindsaúde, Flaviana Alves, o projeto é extremamente prejudicial porque além de afetar o orçamento do trabalhad@r, coloca em risco a aposentadoria do funcionalismo.

Flaviana explica que a proposta é da Prefeitura de Goiânia e já chegou à Câmara Municipal. No entanto, ele adianta que o Fórum das entidades que representam os trabalhador@s da Prefeitura de Goiânia, por meio de um documento, quer a suspensão imediata do projeto e seu envio para o Conselho Municipal de Assistência Previdenciária (CMAP), departamento competente para discutir a mudança.

Em um contexto em que os direitos dos servidor@s de Goiânia estão sendo ignorados como é o caso da data-base, esse projeto se torna ainda mais absurdo e os prejuízos vão além do aumento da contribuição, inclusive porque transfere a dívida de um fundo para outro. Essa proposta, sequer, foi discutida com os membros do CMAP e muito menos com os servidores do município que são os maiores interessados. Portanto, a mobilização do funcionalismo será fundamental para evitar mais um ataque Instituto de Previdência”, enfatizou a presidenta.

Assembleia

Flaviana lembra ainda que está agendada para o dia 19 de abril, uma assembleia geral com os trabalhador@s municipais da Saúde para detalhar os impactos do projeto. O ato vai ocorrer às 8h, na Câmara Municipal. Em pauta também vai estar a data-base, o vale-alimentação, o plano de carreira, condições de trabalho e outros assuntos de interesses dos servidor@s.

Confira aqui o documento completo

13/04/2018

Foto: Blog da Prefeitura de Goiânia