Senador Canedo: prefeito assina acordo pelo fim da greve

Senador Canedo: prefeito assina acordo pelo fim da greve

*Publicada dia 16.04.2019 às 18h25

Nesta terça-feira (16), os servidores municipais de Senador Canedo deliberaram pelo fim da greve. Após seis dias de paralisação, o prefeito Divino Lemes (PSD) assinou o acordo de negociação se comprometendo em atender as reivindicações do funcionalismo público. O encerramento da greve foi aprovado pela maioria dos trabalhadores, seis votos foram contrários.

Conforme o termo de acordo de encerramento da greve, assinado pelo Sindsaúde, o Procurador Geral do Município, Cleidson Araújo, e o prefeito Divino Lemes, a administração municipal se comprometeu em substituir a Gratificação de Progressão Funcional prevista na Lei 1.744/2013 pelo Adicional por Tempo de Serviço. Contudo essa proposta deverá ainda ser aprovada pela Câmara Municipal para que seja alterada a lei.

Também ficou acordado entre os servidores e a prefeitura que os pagamentos das gratificações de Formação Educacional, deferidas com base no Decreto nº 1.047/2012, serão realizados partir de janeiro de 2020.

As demais pautas do movimento grevista, como alteração do Decreto nº 1.047/2012; adicionais de insalubridade e de periculosidade; produtividade; salários dos assistentes de saúde; carga horária de 30 horas para enfermeiros, farmacêuticos e psicólogos; condições de trabalho e de assistência continuarão a serem negociados com a Secretaria Municipal de Saúde de Senador Canedo. O secretário, Carlos Maranhão, se comprometeu em estudar e propor acordos para os trabalhadores.

Nesta quarta-feira (17), está previsto logo no início da manhã, uma reunião entre o Sindsaúde e o secretário de saúde, Carlos Maranhão. O objetivo é dar início às tratativas especifica dos servidores da Secretaria Municipal de Saúde.  

“O encerramento da greve não é o fim da luta. Ela ocorreu porque demos um voto de confiança para a administração de Senador Canedo e a Secretaria Municipal de Saúde. Esperamos que a negociação continue, especialmente, nas pautas dos profissionais da saúde. Fizemos uma pausa para melhor organizar a luta coletiva por nenhum direito a menos”, ressaltou a presidenta do Sindsaúde, Flaviana Alves. Segundo ela, caso a gestão municipal não cumpra com o seu compromisso outro movimento mais forte e unificado da própria saúde será realizado.

Veja aqui a íntegra do documento assinado pelo prefeito.

X
%d blogueiros gostam disto: