fbpx

Sindsaúde intensifica lutas para o plano de cargos e salários em Corumbá-GO

Sindsaúde intensifica lutas para o plano de cargos e salários em Corumbá-GO

Publicado em 15 de junho de 2020, às 17h02

A luta continua para fortalecer a democracia, para defender a sobrevivência do Sistema Único de Saúde (SUS) e para garantir um serviço de saúde pública de qualidade para toda a população.

A Diretoria do Sindsaúde segue com os rodízios de visitas nas unidades de saúde dos municípios goianos (presenciais e virtuais), implementa a agenda de lutas dando continuidade a bandeira pelo plano de cargos e salários em Corumbá-GO. A luta vai se intensificando com a participação cada vez maior dos servidor@s deste município, para que estas conquistas trabalhistas sejam efetiva e para todos.

“Através do empenho de luta do grupo de trabalho dos profissionais de saúde de Corumbá, o Sindsaúde promoverá ações, reuniões e uma agenda que vai garantir esta importante conquista do plano de cargos e salários, parabéns pela luta, assim se faz justiça e controle social,” afirma Erivânio Herculano da Silva, Diretor do Sindsaúde.     

Após o contato pessoal por parte do Presidente, Ricardo Manzi e do Diretor Erivânio Herculano da Silva (Sindsaúde) com o grupo de trabalhos dos profissionais de saúde, foi agendada uma assembleia virtual que definirá uma nova agenda de lutas, que ocorrerá nos próximos 15 dias.  

A luta pelo serviço de saúde público, tem capítulos cada vez mais vorazes da retirada de direitos trabalhistas, que nos impõe à miséria e que rouba a dignidade e o direito do cidadão à saúde.   

“É importante que vocês nos auxiliem passando todas as informações necessárias ou até denunciando, se for o caso. Essas denúncias são sigilosas e imprescindíveis para que nós possamos fazer as intervenções necessárias“, enfatiza Ricardo Manzi, Presidente do Sindsaúde.

Para que se alcance saúde é necessário dar aos protagonista que cuidam da promoção à saúde, os profissionais de saúde, condições adequadas de trabalho e garantias como data-base, titularidade, plano de cargos e salários, insalubridade e todos os direitos constitucionais garantidos para que se promover a saúde e o direito à vida.    

O que assistimos neste momento ímpar da história da humanidade é bem o contrário do que seria o protocolo de direitos trabalhistas ideais para os trabalhador@s da saúde. Não porque esse anjos-da-guarda não queiram, mas por conta da irresponsabilidade e do descaso do poder público. E para piorar o discurso incompatível do Presidente, Jair Bolsonaro, sem partido, que incita a população com insultos aos Poderes que legitimam a democracia e incentivam os crimes de ódio, atacam às estruturas públicas de saúde e os profissionais que nelas trabalham, como tem ocorrido em todo Brasil e em Aparecida de Goiânia, no domingo (14), na UPA Brasicon.    

Estamos enfrentando uma pandemia de um novo vírus (SARS-Cov-19) que não tem vacina e é altamente contagioso. Os trabalhador@s da saúde não podem permitir a desconstrução da dignidade dos brasileiros. É preciso interromper esse processo trabalhista predatório que nos impõe à miséria e que rouba o nosso futuro e de nossas famílias.

 

 

 

X
%d blogueiros gostam disto: